bolo vegano de abóbora
Bolo de abóbora vegano com especiarias


7 janeiro, 2019

Estreando a era 2019 do Entre Anas no youtube com o vídeo mais fácil de se gravar: tag – vegana, inclusive. Vi essa no canal da Lu Ferraria há um tempo e decidi ligar a câmara para responder as 9 perguntas sobre veganismo. Vamos, então, conversar sobre meu restaurante favorito, o que é ser vegana para mim, quais foram minhas principais dificuldades…

 

Tag Vegana 

 

 

Vou deixar as perguntas aqui para você responder nos comentários, tudo bem? Sinta-se à vontade para responder em vídeo ou post, caso você tenha um blog ou canal no youtube. Eu nem fui convidada, mas respondi, porque comigo é assim que funciona 

 

A origem dessa tag vegana é o blog NY and About, da Martha Sachser.

 

#1 Como você descreve o veganismo/ser vegano quando alguém te pergunta?
#2 Desde quando você é vegana?
#3 O que te levou a ser vegana?
#4 Qual foi a parte mais difícil no começo e agora?
#5 Qual a melhor parte de ser vegana?
#6 Qual seu restaurante vegano favorito?
#7 Como é ser vegana na sua cidade? (Preconceito, produtos disponíveis, restaurantes, etc)
#8 Qual seu prato ou alimento vegano favorito?
#9 Você se vê não sendo vegana um dia?

 

Aproveite também esse espaço nos comentários para me dizer que tipo de conteúdo você gostaria de ver no Entre Anas, por favorzinho?  Tem alguma dúvida sobre veganismo? Acrescentaria uma outra questão? Eu logo criaria polêmica com a #10: boicotar marcas ou produtos? 

 

Vem passear na categoria Experiências ou na tag veganismo 🌱

Também estou aqui: 

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube







14 fevereiro, 2018

Há um tempo, fiz um post com 10 verdades que ninguém te conta sobre o feminismo. Decidi, então, estender a ideia para o veganismo. Um assunto que, igualmente, é repleto de mitos. Algumas verdades, é claro, doem. Mas antes ter tudo esclarecido e com os devidos pingos nos is que ficar pregando o senso comum por puro comodismo e ignorância.

 

10 verdades sobre o veganismo 🌱

VERDADES SOBRE O VEGANISMO 2

1 ➳ O veganismo não é caro, ele é elitista. Comentei um pouco sobre isso em um post com o vídeo de compras veganas, mas se você quiser entender mais sobre o assunto recomendo fortemente o texto como é ser vegana e favelada.

 

Basicamente, precisamos entender que o veganismo está associado a privilégios sociais e o principal deles é o acesso à informação de qualidade. Agrião, beterraba, pepino e cenoura não são alimentos caros. Mas olhe ao seu redor: famosos vegetarianos, pratos à base de plantas com preços exorbitantes, instagrans de veganos hipsters, hambúrgueres industrializados vegetarianos pelo dobro do preço… Qual é a imagem que se tem do veganismo? É frescura, coisa de gente rica. O veganismo é vendido para elite, mesmo que não seja algo caro em si. 

 

2 ➳ E desse conceito pulamos para a verdade nº 2, nem toda vegana é saudável, magra, esbelta e malhada. É comum pensar que muitos veganos mudam seus hábitos pensando, principalmente, na saúde. E isso inclui acrescentar ao seu armário nutricional yeast, spirulina, maca peruana e outros suplementos verdes e, aparentemente, mágicos. Ah, e acordar às 5h da manhã para correr e fazer yoga. Pena que não é assim que funciona.

 

Tem muito vegano que só come carboidrato (haja batata!), fritura e industrializados. Não bebe nenhum copinho de água por dia e passa longe de salada crua. E nem venha me dizer que um pedaço de bife resolveria o problema, viu? Porque tem muito carnista por aí que acha que está abalando com um prato de arroz, feijão e carne, mas, na real, você está fazendo as escolhas erradas da mesma maneira.

 

Nem toda vegana vai à academia, faz poses de yoga na praia ou bebe suco verde todos os dias. Nem toda vegana é Yasmin Brunet.

 

3 ➳ Assim como nem todo vegana é saudável, se você é vegana apenas por saúde, deixa eu te contar um segredo: você não é vegana. Você só não come alimentos de origem animal, ou seja, é vegetariana estrita. Ponto.

 

O termo veganismo, em primeiro lugar, parte da preocupação com os animais. Depois, vem o meio ambiente, a saúde, o slow fashion, o pequeno empreendedor, o que você quiser. O abate de animais e seu sofrimento foram o ponto de partida para a criação da The Vegan Society, não a preocupação com o câncer. O veganismo está intrinsecamente ligado à causa animal.

VERDADES SOBRE O VEGANISMO

4 ➳ Não é porque você aderiu a essa filosofia de vida que você, automaticamente, passa a odiar queijo, picanha e doce de leite. O gosto das coisas não muda. O que muda é a sua visão sobre aquele alimento.

 

Poucos veganos não gostam de alimentos de origem animal. O veganismo é uma escolha. Você abre mão de convenções sociais por um bem maior. Infelizmente, isso não significa que o pudim ou o hod dog deixarão de ser gostosos, mas, sim, que um minuto de prazer na boca não valerá a pena diante de tanta morte e sofrimento. O fim, nesse caso, jamais justificará os meios.

 

Mas eu te garanto uma coisa: com o passar do tempo, você acaba esquecendo o gosto das coisas e se abre diante de tantos novos sabores.

 







26 dezembro, 2017

Quando eu cortei os alimentos de origem animal da dieta, descobri um mundo novo dentro do veganismo. Compartilhei um pouco dessa experiência em posts como o de transição, lugares veganos para conhecer em São Paulo, nas receitas da Segunda Sem Carne e a listinha de comidas comuns que, na verdade, são veganas e você não sabia. Dessa vez, quero mostrar as cinco coisas que NÃO são veganas e eu mal tinha ideia. Porque, gente, as formas de explorar os animais vão além do imaginável, sério. Não é só no açougue, não.

 

Como comentei por aqui algumas vezes, quero que o veganismo seja um processo leve e positivo. Eu faço o que está ao meu alcance, mas, às vezes, nem tudo está sob o meu controle. Sigo descobrindo o veganismo aos poucos e adaptando minha rotina para que o meu impacto seja cada vez menor. Eu sei que nenhuma vida nesse planeta merece sofrer por pura praticidade alheia e um minuto de prazer. Nenhuma vida me pertence.

 

Coisas que NÃO são veganas e você não sabia 🌱

 

Batata frita do Mc Donald’s

COISAS QUE NÃO SÃO VEGANAS - BATATA FRITA

Pois é. A história de que a batata frita do Mc Donald’s não é vegana é verdadeira. Então, se você for acompanhar seus amigos, precisa pedir a boa e velha salada, sem frango, obrigada. A não ser que você seja o vegano que não gosta de “financiar” marcas que estão envolvidas em imensa crueldade, aí está tudo bem, você e o Mc Donald’s não terão a menor das relações.

 

Se você ainda duvida, basta você entrar no site do Mc Donald’s gringo e conferir os ingredientes da batata frita. Tem carne (natural beef flavor) e leite (milk derivatives). O site brasileiro não divulga os ingredientes, mas por que eles seriam diferentes?

 

Também é bom perguntar se a sua batatinha é frita no óleo vegetal ou gordura animal, tá bom?

 

Comidas com corante vermelho

 

Aí entram doces, bolachas, refrigerantes, massas, vinagres e qualquer outro produto que tenha um tom rosado ou avermelhado. Não importa se na composição você não encontrar leite, ovos ou mel, ao se deparar com os nomes INS 120, E120, Corante Natural Carmim de Cochonilha ou Corante Natural Ácido Carmínico significa que há pequenos insetinhos nesse alimento.

 

Alimentos enriquecidos com vitamina D ou ômega-3

 

Se a marca não é vegana ou não estiver especificando vitamina D2 ou a origem desse nutriente, é melhor passar longe. Alguns cereais, sucos, leites de soja, bolachas e, principalmente, alimentos voltados para o público infantil são enriquecidos com algumas vitaminas de origem animal.

 

Lembre-se de sempre ler a lista de ingredientes com cuidado e, na dúvida, ligue para o SAC da empresa ou veja algumas das minhas dicas para saber se um produto é vegano ou não.

 

Cerveja e vinhos

COISAS QUE NÃO SÃO VEGANAS - CERVEJA E VINHO

Felizmente, eu não bebo cerveja e raramente encosto em um vinho, mas vale ressaltar que alguns tipos e marcas dessas bebidas têm ingredientes de origem animal. Parece estranho, eu sei, mas no processo de clarificação, usa-se, em alguns casos, a isinglass, uma substância obtida de bexigas secas de peixes. Eu disse que as formas de exploração não tem fim.

 

Para saber se a sua cervejinha ou vinho são veganos, confira esse vídeo bem legal do canal do Vista-se, assim como o site Barnivore que, a partir de troca de e-mails com as empresas, traz uma lista de bebidas vegan friendly.

 

Ah, usar a isinglass vale para qualquer bebida que passa pelo processo de clarificação.

 

Outro ponto a se levar em consideração é se a marca da sua cerveja (ou qualquer outra bebida) patrocina eventos de exploração animal, como, por exemplo, a Brahma que, apesar de não ter ingredientes de origem animal, tem o Circuito Brahma de Rodeio.

 

Gelatina (amendoim, doces, margarina)

 

Sim, todo mundo sabe (ou eu espero que saiba) que a gelatina é uma das coisas que não são veganas, pois vem dos ossos, cascos e outras partes dos animais. Acontece que a gelatina não é um ingrediente usado somente nas caixinhas que encontramos no mercado. Gelatina está em mais coisas do que eu imaginava, assim como leite em pó e clara de ovo – eita ingredientes que o povo gosta de enfiar onde não faz nem sentido.

 

Você pode encontrar gelatina em amendoins, margarinas feitas a partir de óleo vegetal, balinhas tipo fini, produtos light, marshmellow, barras de cereal e até doce clássicos, como de banana, batata doce ou abóbora. Certifique-se de que não há gelatina em pó, espessante de gelatina, gelatina hidrolizada ou outras variações nos ingredientes. Goma guar, goma xantana e goma acácia estão liberadas, ok?

 

Passar uns minutinhos a mais no mercado lendo a lista de ingredientes vale a pena diante de tanto sofrimento animal. Isso não é nada comparado a morte ou a vida curta de exploração a qual esses animais são submetidos.

 

Nós precisamos parar de pensar que as coisas surgem magicamente no mercado ou nas lojas e entender que por trás de cada embalagem ou produto à venda existe um processo de produção que, em muitos casos, é cruel e repleto de falhas. Não é só um bife. É um animal. Não é só gelatina hidrolisada. É uma parte de um boi que foi, praticamente, destrinchado para atender nossos caprichos.

 

Não vale a pena. Meu corpo é um jardim, não um cemitério 🌱❤

 

Ah, o açúcar refinado é vegano, sim! Olha só essa resposta da União.

 

Além dos alimentos, existem outros objetos comuns do nosso dia a dia que não são exatamente veganos. Vocês gostariam de um post assim? Conhecem outras coisas que não são veganas? Me contem nos comentários! 😊

 

Substituições veganas: fontes de proteína vegetal

Substituições veganas: alimentos vegetais fontes de cálcio

Substituições veganas: fontes de ferro vegetal!

Substituições veganas: como substituir o ovo?

 

❤ Outros posts que você pode gostar ❤

 

Doar sangue pela primeira vez, como funciona?

➳ O que eu comi hoje? (Vegano)

#BelezaVegana: marcas de maquiagem veganas (100%)

Famílias veganas para acompanhar

Sorvete vegano em uma nuvem de algodão doce

➳ Consumo consciente de acessórios + sorteio

 

Vem passear na categoria vida verde ou na tag alimentação vegana 🐷

Também estou aqui: 

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube

 

 

* indicates required



Você é vegano?









NÃO PERCA AS NOVIDADES, CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER!